Ficção, Realidade E Sonhos…

Ficção, Realidade E Sonhos... 1

Nesta terça-feira, 11 de dezembro, será consumada a cerimônia de ingresso de Nuria Oliver pela Real Academia de Engenharia. É uma data significativo pra Inteligência Artificial, que vê, assim sendo, como uma das grandes especialistas na matéria, entra a fazer quota de uma faculdade tão relevante. Oliver, que hoje em dia é diretora de Pesquisa em Ciências de Dados na Vodafone, ocupará o assento com o número um e é a primeira acadêmica cujo principal campo de trabalho é a Inteligência Artificial. Meses antes de que fosse desenvolvida a Real Academia de Engenharia, no momento em que eu era estudante de Teleco na UPM, achei a Inteligência Artificial, a área a que tenho dedicado minha existência profissional.

foi amor à primeira visão. A partir de em torno de 25 anos, tenho focado minha atividade de busca em modelagem computacional do modo humano, usando técnicas de Inteligência Artificial. Eu trabalhei com quartos, roupas, automóveis e smartphones inteligentes. Durante toda a minha carreira, a inspiração e o motor de meu trabalho sempre foi uma pergunta com uma clara aplicação social.

Em todos os meus projetos, a pessoa -a nivelindividual ou coletivo—foi e é o ingrediente central: tecnologia e para a comunidade; tecnologia que nos sabe, como passo prévio para poder ser apto de nos acudir. Todavia, hoje, mais do que nunca, sinto preocupação com o impacto que essa tecnologia está a ter em nossas vidas, encontro, não necessariamente a todo o momento afirmativo. Desse modo, e também compartilhar alguns de meus sonhos decidi proporcionar o meu discurso de tomada de posse nesta Academia Real da Inteligência Artificial. 1. Sistemas com IA específica, que é o tipo de Inteligência Artificial que temos atualmente. São sistemas capazes de realizar uma tarefa específica (como por exemplo, reconhecimento de fala, reconhecimento de imagens, processamento de texto…) até mesmo mais do que um humano, entretanto só essa tarefa.

Tais como, ainda que um algoritmo projetado pra jogar xadrez jogue melhor que o ótimo dos seres humanos, é incapaz de fazer qualquer outra tarefa. Realmente, não “entende” que é o xadrez e teria problemas para poder jogar, se tu não consegues uma fração das regras do jogo.

3.Sistemas com super-inteligência, termo um tanto controverso, que faz referência ao desenvolvimento de sistemas que teriam uma inteligência superior à humana, igual propõe o filósofo britânico Bostrom. O sucesso recente dos sistemas de Inteligência Artificial talvez esse desviando a atenção em relação a dificuldades fundamentais da Inteligência Artificial atual que ainda estão por definir.

porém, apesar dessas limitações, a Inteligência Artificial prontamente está tendo um extenso impacto pela comunidade e faz fração integrante da Quarta Revolução Industrial, em que estamos imersos. A Quarta Revolução Industrial se apoia a ubiquidad da tecnologia digital, em tão alto grau em nossa sociedade e em nosso corpo e da união crescente entre o universo físico, o universo biológico e o mundo digital.

O progresso tecnológico filiado à Quarta Revolução Industrial está polarizando o mercado de serviço. Por um lado, aparecem novos empregos altamente remunerados e que requerem especialização em áreas tecnológicas (por exemplo, um cientista de detalhes, …). Por outro lado, desaparecem outro tipo de profissões e trabalhos ao ser automatizados parcial ou inteiramente (tendo como exemplo, motoristas de táxi/transportadores, caixas/as, agentes de viagem…).

  • CES 2018: os gadgets mais curiosos da primeira jornada da feira
  • Agora você podes englobar aplicativos pela barra de tarefas
  • são paulo: a Segunda superior goleada de Prata
  • O campo de serviço, 3×07 The Camp
  • Rodas de 19 polegadas BBS de liga
  • Filosofia entre grades (2015)
  • 18 Música sem limites: Inteligência Artificial

Tudo o que seja automatizada ou substituídos, com o exercício de tecnologia, será automatizado. Esta tendência prevê uma transformação completa pela infraestrutura ocupacional que porventura implique riscos pra comunidade se não somos capazes de nos moldar a essa transformação. Em Portugal, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) figura 12% dos postos de serviço que podem estar em risco pela automação. Ao mesmo tempo, o desenvolvimento de tecnologias disruptivas, com perícia para transformar a sociedade tem levado historicamente uma criação de emprego. De acordo com um estudo da McKinsey, um terço dos novos empregos desenvolvidos nos EUA. 25 anos pertencem a disciplinas que não existiam anteriormente, em áreas como as tecnologias da dado.

A grau mundial, um recente estudo do Fórum Econômico Mundial estima que haverá um progresso líquido de cinquenta e oito milhões de postos de serviço em 2021, como decorrência da IA. A Comissão Europeia antecipa uma indispensabilidade de mais de 900.000 novos postos de serviço tecnológicas no curto período, que seremos incapazes de cobrir se não transformamos nossos programas educacionais.

No tema nacional, o relatório EPYCE 2017 sinalizam que o perfil mais procurado em Portugal, hoje em dia, é o de engenheiro/a de informática, seguido por perfis relacionados com o Big Data. Também, o relatório prevê que 49% das profissões mais demandadas no futuro em Portugal serão nos domínios da engenharia e da tecnologia.